Lábio leporino: a vítima que virou a vilã

Nunca desejei ser quem eu sou já que vivi numa sociedade difícil de se viver onde nem todos são bem aceitos e isso tudo por causa do preconceito. Um dia, no meu primeiro dia de escola, senti o gosto do preconceito de viver numa sociedade preconceituosa com quem nasce com lábio leporino.

Um dia a professora sempre mandava os alunos colocarem as mochilas numa mesma cadeira e eu fui colocar a minha, mas os colegas aproveitaram a saída  da professora para me machucarem com palavras, um deles foi até a cadeira onde ficavam as mochilas e jogou a minha no chão, no momento não entendi até ele me chamar de nariz de porco e os outros rirem, eu fui três vezes ajuntar minha mochila do chão em meio a gargalhadas dos colegas, mas deveria haver um momento que eu ia desistir de ajuntar a mochila, e eu desistir chorando.

A professora parecia chata e quando ela voltou e viu apenas a minha mochila no chão me deu uma bronca eu não poderia falar nada simplesmente porque ela não ia entender minha fala que é nasalada. Hoje não é diferente, nascer com lábio leporino foi o maior castigo que eu pude receber de Deus (se é que ele existe).

A vítima virou a vilã nesse dia

Facebook comentário
Você gostará também:
About Paulo Gustavo 529 Articles
Bogueiro que nasceu com lábio leporino e que tenta conviver com isso em paz, mas é difícil e que ama ficar navegando na internet durante horas e que adora ler e ouvir músicas de todos os tipos, desde que seja boa de se ouvir e que faça sentido e adora ver filmes. Gosto de ler sobre política, mas não tenho partido. Gosto de ler sobre o mundo religioso, mas não tenho religião e nem sou ateu. Também não sou de outro mundo (risos). Tenho minhas posições. Criador do blog http://www.blogpaulogustavo.com.br onde posta as principais notícias do mundo religioso e que posta (às vezes), seus comentários. Também é administrador do Blog http://megaestranho.com que posta curiosidades e terror. Sou uma pessoa que compartilha informações.
wpDiscuz